10 casos crianças que desapareceram misteriosamente

Estas histórias são semelhantes, filhos que saíram de casa, e sem nenhum motivo aparente, desapareceram misteriosamente. Este um drama vivido por muitos pais no Brasil e no mundo, cheio de dores e sofrimentos mas nunca perdendo a esperança de poder encontrar seus filhos. Confira então 10 casos de crianças que o seus desaparecimentos continuam a ser um mistério.

10. Stephany Souza do Carmo Lopes

stephany-menina-desaparecida
www.desaparecidosdobrasil.org

No dia 17 de agosto de 2002, Stephany Souza do Carma Lopes, de 6 anos, foi brincar na casa de uma vizinha, em São Paulo, e nunca mais foi vista. Segundo testemunhas, ela teria sido levada por uma mulher loira. A polícia investigou o caso, chegou a prender alguns suspeitos, mas nunca conseguiu encontrar quem sequestrou a menina.

“Eu estava trabalhando, mas sentia uma agonia enorme. Era uma sensação estranha e liguei várias vezes para casa durante a manhã, para ver se estava tudo bem”, disse Zeni Souza do Carmo Lopes, mãe da criança. Zeni conta que visitou várias cidades do estado atrás de pistas, mas nunca conseguiu achar Stephany. “Eu tenho esperanças que vou acha-la. Sofro muito e mantenho o quarto da minha filha intacto. Sempre que tenho pistas vou atrás e procuro a delegacia pelo menos uma vez por semana para saber se a polícia tem alguma novidade”, disse ela.

9. Leandro Bossi

Desaparecido desde fevereiro de 1992, no Paraná, ainda a polícia não descobriu ainda o paradeiro de Leandro Bossi. No dia que Leandro desapareceu, com 7 anos de idade na altura, ele saiu de casa e foi até o trabalho da mãe. Ela pediu para que o filho voltasse para casa e trocasse de roupa. Depois disso nunca mais foi visto.Se fosse para dar um concelho, o construtor civil João Bossi, pai de Leandro, teria apenas um: “Que os pais cuidem mais dos seus filhos, porque a dor é muito grande”, contou emocionado.

8. Elicéia Silveira

A pequena Elicéia Silveira está desaparecida desde do dia 18 de março de 1995 quando saiu de casa, no bairro Agronômica, na área central da Capital Catarinense, para comprar remédios em uma farmácia próxima. Depois daquele dia a mãe nunca mais teve informações da filha. A mãe Maria Inês Silveira moveu mundos e fundos. Distribuiu fotos da filha pelo Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. No dia 19 de 1999, surgiu a notícia de que Elicéia teria sido encontrada em Minas Gerais. Quando foi ao encontro da garota em Minas, descobriu que a menina que dizia ser sua filha, fez passar por Elícéia depois de ver um cartaz.

7. Karla Victória Alves Ferreira

No dia 2 de novembro de 2005, Karla Victoria Alves Ferreira, 4 anos, brincava com outras crianças em frente da casa de uma vizinha, em Manaus. As outras crianças entraram na residência e Karla ficou para trás. Depois de algumas horas, a mãe Francinete Alves Ferreira notou que a menina havia sumido.

“Fizemos muitas buscas na região, interrogamos os vizinhos e parentes, mas não encontramos nada”, afirmou o investigador Gaspar do Vale, responsável pelo caso. “Ela morava na periferia da cidade, em um lugar onde passavam poucos carros. Até hoje não temos nenhum suspeito, disse ele.

6. Michele de Jesus da Conceição

Foi no dia 7 de setembro de 2006, que Michele de Jesus da Conceição, com 10 anos na altura, saiu de casa para ir à casa de uma colega. O pai, Gercino Bernardo da Conceição, estava no trabalho e à noite foi à polícia desesperado, porque a menina não havia retornado.

“Ela saiu apenas com a roupa do corpo e os óculos. Fui procurá-la na Bahia, onde temos parentes, mas ela não estava lá”, disse Conceição. “A gente tem aquela esperança de encontrar, mas sabe que é muito difícil. Eu durmo, levanto e não sei onde ela está. Penso nisso tempo todo.” Por causa de desaparecimento da filha, Conceição entrou em depressão profunda e afirmou que tem de tomar remédios controlados.

5. Caroline Menezes Cardoso

13 de abril de 2003, foi o dia em que Caroline Menezes Cardoso, com 8 anos na altura, andava de bicicleta em frente à casa da tia, em um condomínio fechado, no Rio de Janeiro, quando desapareceu. A polícia investigou o caso, mas nunca encontrou pistas. O pai de Caroline, Paulo César Cardoso, vive com amargura por nunca ter conseguido uma pista concreta. “Colocamos outdoors nas ruas, organizamos passeatas e distribuímos mais de mil cartazes por toda a cidade. Cheguei a viajar até para outros estados”, disse ele.

4. Rui Pedro Teixeira Mendonça

Rui-Mendonça-menino-desaparecido
www.novagente.pt

Rui Pedro é uma criança portuguesa que desapareceu a 4 de março de 1998 em Lousada onde residia com os pais. Rui Pedro tinha onze anos e foi andar de bicicleta perto da sua casa quando desapareceu. O caso do desaparecimento do rapaz é um dos mais conhecidos e acompanhados pela imprensa em Portugal, continuando o seu paradeiro atual a ser um mistério.

3. As Crianças Beaumont

As-criâncças-Beaumont-desaparecidas
escaperoomportoalegre.com.br

Jane Narture Beaumont (9 anos), Arnna Kathleen Beaumint (7 anos) e Grant Ellis Beaumont (4 anos) eram três irmãos que conhecidos em conjunto como “As Crianças Beaumont” que desapareceram em Glenelg Beach perto de Adelaide, sul da Austrália, no dia 26 de janeiro de 1966. O seu caso resultou numa das maiores investigações policial da história criminal australiana e permanece um dos casos arquivados mais famosos da Austrália. A grande atenção dada a este caso, é significativo na história criminal australiana, e o fato do mistério nunca ter sido explicado.

2. O filho gêmeo do casal que desapareceu no hospital após parto

Em 22 de novembro de 1972, a dona de casa Maria da Piedade Pereira deu à luz gémeos, no Hospital São Vicente, em Taguatinga. Mas teve de deixar o local com apenas uma criança nos braços, à qual deu nome de Emerson. Outro menino, Élsio, desapareceu, sem nenhuma explicação, de dentro do hospital. Os pais nem sequer chegaram a tocar no filho. Não restou nenhuma recordação.

As crianças idênticas nasceram prematuras. Élsio precisou ficar na incubadora para ganhar peso. Depois de 26 dias de espera pela recuperação do menino, o pai, José Nonato de Aniceto foi busca-lo. Porem ao chegar ao hospital, recebeu a notícia de que o filho simplesmente não estava mais ali. O pai pediu satisfação a médicos, enfermeiros e a quem mais encontrou pelo caminho. Um dos profissionais informou a José que o filho dele, provavelmente, estaria morto. Mas não apresentou atestado de óbito ou qualquer documento que justificasse a suspeita. José insistiu em falar com o diretor da unidade de saúde. O homem que o recebeu deu apenas um concelho: “Esqueça essa história. Melhor não mexer com isso. É complicado”. A época era da repressão, ditadura. José e Maria temiam reclamar. Hoje várias décadas depois eles ainda tem esperança de encontrar o filho.

1. O desaparecimento de Madeleine McCann

Madeleine-McCann
www.dailystar.co.uk

O famoso desaparecimento aconteceu na noite de 3 maio de 2007 em um resort na Praia da Luz, região de Algarve, em Portugal. A família McCann deixou a Inglaterra para passar férias no local, uma praia frequentada por muitos britânicos. Com três crianças pequenas – Madeleine. Com quase 4 anos, e os gêmeos Sean e Amelie, com 2 anos – os McCann se instalaram no resort Ocean Club. O lugar era bem pacato. Em vez de muros e grades, os prédios com apartamentos dos hóspedes davam diretamente para as ruas de um tranquilo vilarejo de 3 mil habitantes.

Na noite de 3 de maio, Madeleine desapareceu. No início, a polícia portuguesa trabalhou com ideia de rapto. Com o tempo, porém, as suspeitas se voltaram contra os pais da garota, Gerry e Kate.  As investigações passaram a seguir dois ramos distintos: enquanto a polícia portuguesa analisava evidências contra o casal McCann, este injuriados por serem considerados suspeitos, contrataram uma agência privada de detetives, que trabalhava na hipótese de uma rede internacional de pedófilos ter sequestrado a menina e levado para Marrocos. Apesar de já se ter coletado mais de mil depoimentos, investigado centenas de suspeitos e gasto mais de 11 milhões de libras, ainda não conseguiram descobrir o que houve com a menina.

 

COMPARTILHAR