10 fatos interessantes sobre Max Weber

Max Weber foi um jurista, economista e considerado por muitos um dos fundadores da sociologia. Não só na sociologia sua influência também pode ser sentida na economia, na filosofia, no direito, na ciência política e na administração. E teve influência na política alemã em sua época.

A maioria do seu trabalho como pensador e estudioso foi focado no estudo do capitalismo e processo de racionalização e desencantamento do mundo. As suas obras mais famosas são: “A ética protestante e o espirito do capitalismo” e “A política como vocação”.

10.Ele casou-se com sua prima

max-weber-sua-mulher
theschooloflife.com

Em 1893, Max weber casou- se com sua prima distante Marienne Schnighter, que mais tarde foi uma ativista feminista e autora. Ela que foi fundamental na coleta e publicação de artigos como livros após sua morte, enquanto sua biografia é a parte importante para entender a vida de Weber.

Eles não tiveram filhos e muitos dizem que o casamento deles nunca foi consumado. Casamento que proporcionou a independência financeira que Weber tanto ansiava, possibilitando assim que deixasse a casa dos seus pais. Mudaram-se para Freiburg em 1894, onde Weber foi nomeado professor de economia na Universidade Heidelberg.

9. A morte de seu pai o afetou profundamente

O pai de weber morreu em 1897 dois meses depois de uma grave desavença com seu filho que nunca ficou resolvida. Após isso, o sociólogo alemão tornou-se cada vez mais vulnerável a depressão, nervosismo e insónia. Dificultando assim suas funções como professor.

Condição essa que o forçou a reduzir seu ensino e, eventualmente deixar o curso que estava fazendo inacabado. Sua doença mental que foi cuidadosamente descrita em uma cronologia de Weber, foi destruída por sua esposa. Pois temia que o trabalho de seu marido não fosse levado a sério pelos nazistas, se soubessem de seus problemas mentais.

8. Presenteou seus pais com ensaios históricos quando tinha 13 anos

Karl Emil Maximilian Weber nasceu em 1864, em Erfut, província de Saxônia, Prússia, sendo o mais velho dos sete filhos. Seu pai era um funcionário rico e proeminente membro do Partido Liberal Nacional, e sua mãe Helene, que em parte descendia de imigrantes huguenotes franceses.

Quando tinha treze anos de idade, Weber deu de presente para seus pais, dois ensaios históricos intitulados “Sobre o curso da história alemã, com especial ás posições do imperador e do papa”, e “Sobre o período imperial romano de Constantino à migração das nações”.

7. Começou a publicar seu trabalho em 1904

livros
pixabay.com

Depois de vários anos produzindo vários trabalhos, só em 1904, que ele começou a publicar alguns de seus trabalhos mais semanalmente numa revista.  Como o seu ensaio A ética Protestante e o Espirito do Capitalismo, que veio a se tornar o seu trabalho mais famoso.

Trabalho este que lançou as bases para sua pesquisa posterior sobre o impacto das culturas e religiões no desenvolvimento de sistemas econômicos. Este ensaio foi único de seus trabalhos daquele período que foi publicado como um livro durante sua vida.

6. Sua visão sobre a 1ª Guerra mundial mudou durante o curso do conflito

No começo da Primeira Guerra Mundial, Weber, com 50 anos, ofereceu-se como um voluntário e foi nomeado oficial de reserva. Onde foi encarregado de organizar os hospitais do exército em Heidelberg, cargo que desempenhou até final de 1915. E a visão dele sobre a guerra e a expansão do império alemão tinha mudado durante o curso do conflito.

Inicialmente, ele apoiou a retórica nacionalista e o esforço de guerra, mas com uma hesitação. Como via a guerra como uma necessidade para cumprir o dever alemão como uma potência de estado líder.

Com tempo, no entanto, Weber tornou-se um dos críticos mais proeminentes do expansionismo alemão e das políticas de guerra do Kaiser. Ele atacou publicamente a política de anexação belga e a guerra submarina irrestrita e depois apoiou apelos por reformas constitucionais, democratização e sufrágio universal.

5. Ele foi cofundador da Associação Alemão de Sociologia

Depois de uma recuperação parcial de sua doença mental, Weber sentiu-se incapaz de retomar ao ensino regular na época e continuo como estudioso privado, ajudado por uma herança em 1907. Em 1909, ele co-fundou a Associação Alemão de Sociologia (Deutsche Gesellschaft fur Soziologie, ou DGS) e serviu como seu primeiro tesoureiro.

Renunciou, da DGS em 1912, e então ele tentou organizar um partido político de esquerda para combinar socialdemocratas e liberais. Tentativa esta que não teve sucesso, pois muitos liberais temiam as ideias revolucionários socialdemocratas.

4. Suas inspirações

pessoa-pensando
pixabay.com

Seu pensamento foi fortemente influenciado pelo idealismo alemão, em particular pelo neokantismo. O qual Weber foi exposto por Heinrich Ricker, seu colega de profissão na Universidade de Freiburg.

O que foi extremamente importante para seu trabalho é a crença neokantiana de que a realidade é essencialmente caótica e incompreensível. Com toda ordem racional derivada da maneira como a mente humana concentra a atenção em certos aspectos da realidade e organiza as percepções resultantes.

Também foi influenciado pela ética kantiana, que, no entanto, chegou a considerar obsoleta em uma época moderna, carente de certezas religiosas.

3. Sua metodologia

Demonstrando um pensamento ao contrário de algumas das outras figuras clássicas, Weber não tentou, conscientemente, criar qualquer conjunto específico de regras que regem as ciências sociais em geral, ou a sociologia em particular. Em comparação com Durkheim e Marx, Weber estava mais focado em indivíduos e cultura e isso é claro em sua metodologia

Enquanto que Durkheim focou na sociedade, weber concentrou-se nos indivíduos e suas ações. E enquanto, Marx defendia a primazia do mundo material sobre o mundo das ideias, weber valorizava as ideias como ações motivadoras dos indivíduos.

2. Nunca foi professor de sociologia

Lecionou primeiro na Universidade de Viena e depois em 1919, na Universidade de Munique. Ele chefiou em Munique o primeiro instituto universitário alemão de sociologia, mas nunca uma posição de docente em sociologia.

Suas palestras desse período foram reunidas em obras, como a História Econômica Geral, a Ciência como Vocação e a Política como Vocação. Muitos colegas e estudantes em Munique atacaram sua resposta à revolução alemã e alguns estudantes de direita realizaram protestos em frente à sua casa.

1. Contraiu a gripe espanhola

gripe-esponhola
awebic

Depois de contrair a gripe espanhola, Max Weber morreu de pneumonia em Munique em 14 de junho de 1920. Na época de sua morte, weber não havia terminado de escrever sua obra magna sobre a teoria sociológica: Economia e Sociedade. Então sua viúva Marianne ajudou a prepara-lo para sua publicação em 1921-22.

COMPARTILHAR