10 principais obras de Henri Matisse

Henri Émile Benoít Matisse foi um artista francês, famoso tanto por seu uso da cor como por sua habilidade de desenho fluido e original. Conhecido principalmente como pintor, ele também foi desenhista, gravador e escultor. Juntamente com Picasso e Marcel Duchamp, ajudaram a definir os desenvolvimentos revolucionários nas artes plásticas nas primeiras décadas do século XX.

Apesar de ter sido inicialmente rotulado de “fauve” (animal selvagem), na década de 1920 ele foi cada vez mais saudado como defensor da tradição clássica da pintura francesa. Conheça as 10 principais pinturas de Henri Matisse.

10. Mulher em um Casaco Roxo

Mulher em um Casaco Roxo-henri-matisse
Henri Matisse

Criada em 1937, esta pintura do pintor francês, é um excelente exemplo do uso da cor e da luz para expressar suas emoções na vida. Embora não haja uma única linha reta, a maneira como as cores se justapõem não é necessária uma linha reta.

Não há um esboço definido em alguns itens como a fruta na mesa. Todo o resto é cercado por um contorno preto e grosso que acentua todas as outras caraterísticas.

9. Janela Aberta, Collioure

Janela Aberta, Collioure
Henri Matisse

Collioure é um ícone do modernismo primitivo, apesar de ser pequeno e explosivo. A tela teria sido pintada por Henri Matisse, em Collioure, uma pequena cidade na costa mediterrânica da França, em 1905. É tido como uma das mais importantes pinturas antigas da chamada escola fauve (movimento artístico do século XX).

Nesta obra Matisse corteja a intensidade máxima da cor, essencialmente evitando a luz e sombra. O jogo de luz e escuridão cria uma ilusão de volume e profundidade espacial.

8. Peixinho e Paleta

Peixinho e Paleta
Henri Matisse

Dos vários assuntos de natureza morta de Matisse, poucos eram mais produtivos do que os peixes dourados. Pintada em 1915, nesta versão atual, os peixes em seu aquário redondo são colocados sobre uma mesa em frente a uma janela de maneira curiosa, decorativa e cubista.

Do ponto de vista cubista estrito, a composição não é especialmente profunda. Ainda certas táticas gerais da arte de seus rivais estão aqui naturalmente integradas na abordagem mais decorativa de Matisse.

7. Luxo Serenidade e Prazer

Luxo Serenidade e Prazer
Henri Matisse

As formas desta pintura – as figuras, a árvore, o mato, o mar e o céu – são criadas a partir de manchas de cor, pinceladas da escova que formam a imagem. Matisse preferia traços discretos de cor que enfatizavam a superfície pintada em vez de uma cena realista.

Ele também usou uma paleta de cores primárias puras e agudas (azul, amarelo, e laranja) para renderizar a paisagem e depois delineou as figuras em azul.

6. Mulher com um Chapéu

Mulher com um Chapéu
Henri Matisse

Mulher com um Chapéu marcou uma mudança estilística das pinceladas regulamentadas da obra anterior de Matisse para um estilo individual mais expressivo. Seu uso de cores não naturalistas e pinceladas soltas, contribuíam para uma qualidade incompleta.

Exibido pela primeira vez no Salon d’Automme em 1905, em Paris, esta obra esteve no centro da controvérsia que levou ao batismo do primeiro movimento de arte moderna do século XX.

5. Banhistas na Margem do Rio

Banhistas na Margem do Rio
Henri Matisse

Considerado pelo pintor francês como um dos cinco trabalhos mais “importantes” de sua carreira. E por uma boa razão, pois facilitou a evolução do estilo do artista ao longo de quase uma década. Esta incrível obra é de um período de bastante agitação artística, onde emergiu da sua complicada busca por direção.

Originalmente, o trabalho foi relacionado em 1909 a um colecionador russo Sergei Schukin, que queria duas grandes telas para decorar a escadaria de sua casa em Moscovo. Então Matisse propôs três imagens pastorais, mas Schukin decidiu comprar apenas duas.

4. O Nu Azul

O Nu Azul
Henri Matisse

Henri estava trabalhando em uma escultura, quando acidentalmente danificou a peça. Então ele resolveu pinta-la em azul contra um fundo de folhas de palmeira.  Esta é uma homenagem à Cezanne, uma escultura que o artista viu na Argélia. Nu Azul é uma mulher deitada nua com uma perna sobre a outra e braço dobrado contra a cabeça.

Esta pintura é muito o oposto do real. A cor usada para representar sombras e detalhes nesta mulher é incomum e irrealista.

3. O Estúdio Vermelho

O Estúdio Vermelho
Henri Matisse

A tela apresenta uma pequena retrospectiva da pintura, escultura e cerâmica recentes de Matisse, exibida em seu estúdio. As obras de arte aparecem em cores e em detalhes, enquanto a arquitetura e a mobília da sala são indicadas apenas por lacunas negativas na superfície vermelha.

O eixo central da composição é um relógio de pêndulo sem as mãos – é como se, no oásis do estúdio do artista, o tempo esteve suspenso.

2. Alegria da Vida

Alegria da Vida
Henri Matisse

Alegria da Vida, é a segunda de suas importantes composições imaginárias. O artista usou uma paisagem que ele havia pintado em Collioure para fornecer o cenário para o idílio. Mas também é influenciado por ideias tiradas de obras de outros artistas.

A cena é composta de motivos independentes organizados para formar uma composição completa. A pintura maciça e suas cores chocantes receberam críticas mistas quando foi exibida pela primeira vez.

1. A Dança

A Dança
Henri Matisse

Feita a pedido de um empresário russo e colecionador de arte, esta pintura foi feita em 1910. A composição das figuras dançantes é comumente reconhecida como “um ponto-chave” da carreira de Matisse e no desenvolvimento da pintura moderna.

A pintura mostra cinco figuras dançantes, pintadas em vermelho forte, contra uma paisagem verde muito simplificada e um céu de azul profundo. Reflete o fascínio incipiente do pintor francês pela arte primitiva. A pintura é frequentemente associada à “Dança das Moças” da famosa obra musical de Igor Stranvinsky, A Sagração da Primavera.

COMPARTILHAR