15 obras de Tarsila do Amaral que precisas conhecer

Poeta, desenhista e tradutora brasileira, Tarsila do Amaral é uma das figuras mais importantes da pintura e da primeira faze do movimento modernista no Brasil. Como um dos principais nomes da pintura Brasileira, ela também possui fama no exterior.

15. O Pescador, 1925

 O Pescador, 1925 
Flickr

Adquirida pelo Museu de Artes Ocidentais, quando Tarsila do Amaral fez sua exposição na Rússia. Está obra é um festival harmonioso de cores, onde predominam as formas retangulares e ovaladas. As pedras, dentro do lago, possuem tons lilás e rosadas. O pescador, é a única figura presente nesta composição, estando sentado sobre uma pedra lilás.

14. A Cuca, 1924

14. A Cuca, 1924
História das Artes

Pintado pela artista brasileira no começo de 1924, onde escreveu a sua filha dizendo que estava produzindo uns quadros “bem brasileiros”. Descreveu a tela como “um bicho esquisito, no meio do mato, com um sapo, um tatu, e outro bicho inventado”. Para criação deste quadro Tarsila usou cores alegres e que lembram o Brasil.

13. Urutu, 1928

Urutu, 1928
Pinterest

Urutu, também conhecida como o O Ovo, a tela mostra um dos símbolos mais importantes da Antropofagia. A cobra grande é um animal que assusta e tem poder de “deglutição”. Para além disso, podemos ver também um ovo, uma gênese, o nascimento de algo novo. A obra transmite a proposta da Antropofagia.

12. Abaporu, 1928

Abaporu, 1928
Cultura Genial

ada também em 1928, esta obra foi produzida como presente para o aniversário do escritor Oswald de Andrade, que na altura era seu marido. Tarsila descreve o tema da pintura como “uma figura monstruosa e solitária, pês enormes, sentada sobre uma planície verde”.

11. Antropofagia, 1929

Antropofagia, 1929
Wiki Art

Para criação desta tela Tarsila fez a união dos seus dois trabalhos anteriores: A Negra (1923) e Abaporu (1928). É impossível o entendimento desta obra através de uma leitura convencional, aquela que é feita na análise dos detalhes. O observador deve optar por outro nível conceitual, pois as duas formas brutas, apresentadas pela artista reportam ao estado primitivo.

10. Sol Poente, 1929

Sol-poente
Enciclopédia Itaú Cultural

Este quadro é da faze mais surrealista da artista, na pintura é possível ver que a vegetação se encontra totalmente revolucionada e que não se pode mais definir como cactos. Plantas cilíndrica de ponta arredondada, verga para a direita como fazem as árvores que crescem em local de vento. E no fundo à esquerda estão uns poucos cactos remanescentes.

9. Segunda Classe, 1933

Segunda Classe, 1933
História

Nesta faze, chamada de fase social, Tarsila passou então a questionar os problemas advindos das industrialização e capitalismo. Na composição desta obra ela mostra o êxodo rural que se segue, quando as famílias deixam o interior em busca de emprego na cidade grande.

Na tela estão 24 figuras, sendo seis crianças, três homens e cinco mulheres. Todos eles se mostram tristes e desesperançados. Numa das janelas está uma mulher com um bebê e na outra um homem mais idoso, de barba.

8. Carnaval em Madureira, 1924

Carnaval em Madureira, 1924
YouTube

Vindo de Paris para o Brasil no ano de 1924, Tarsila passou o carnaval no Rio de Janeiro. A obra recebeu o nome do bairro, mas não se sabe se ela esteve mesmo em Madureira durante a festa. O quadro chama atenção por possuir a famosa Torre Eiffel bem no meio do bairro carioca.

Diversas interpretações dão conta de que ela representa a própria a pintora, deslocada em seu próprio país logo após seu regresso do exterior.

7. Os Operários, 1933

Os Operários, 1933
Wiki Art

Para pintar este quadro Tarsila recorreu à memória e fotografias. A tela junta 51 rostos de mulheres e homens de idades e etnias variadas. No fundo, é possível ver a chaminé da fábrica e o prédio de escritórios assinalam a pluralidade das ocupações. As variações dos rostos indicam a convivência entre habitantes autóctones e imigrantes de diversas origens.

6. A Negra, 1923

A Negra, 1923
Research Gate

A negra foi pintada em Paris, quando Tarsila era aluna do renomado pintor Fernand Léger. Após terminar a pintura da tela, Fernand ficou tão impressionado que ele mostrou o quadro para todos os seus alunos, dizendo então que se tratava de um trabalho excepcional.

Nesta tela há elementos cubista no fundo e também é considerada a percursora da Antropofagia na pintura da artista.

5. O Vendedor de Frutas

O Vendedor de Frutas tarsila do amaral
CNSD

Esta tela nos remete para um mundo lírico do país tropical abundante em frutos e paisagens amenas. O homem retratado em primeiro plano, com seu chapéu grande, é o símbolo do trabalho do campo. Na sua forma e cor, faz rima com os abacaxis e grandes laranjas.

4. A Lua, 1928

A Lua, 1928
Wiki Art

Presenteado ao seu marido por Tarsila, que na época era Oswald de Andrade. Dizem que ele guardou a tela até os seus últimos dias de sua vida. Observando esta pintura, é possível notar que os elementos da natureza como a lua e cacto estão pintados de modo estilizados. Todo resto da composição nos remetem aos sonhos e devaneios da pintora.

3. Cartão Postal, 1929

Cartão Postal, 1929
A Relíquia

Criada em 1929, podemos ver nesta tela a lindíssima cidade do Rio de Janeiro que é o maior cartão postal do Brasil. O macaco agora é um bicho Antropofágico de Tarsila que compõe essa bela pintura.

2. Costureiras, 1950

 Costureiras, 1950
Pinterest

Pintada em 1936 e depois alterada pela artista, onde aumentou o número de figuras, onde só veio a termina-la em 1950. A obra mostra as peculiaridades de Tarsila, as figuras é típica da pintora. A persistência de elementos de seu repertório visual, como a mão da costureira no canto inferior direito.

1. Terra, 1943

Terra, 1943-tarsila-do-amaral
Arte e artistas

Nesta pintura de paisagem com caraterísticas surrealistas, Tarsila volta então á descrição da vegetação e propõe grandes distorções corporais. A obra apresenta um cenário dúbio e de metamorfoses. Sua matéria não é nem densa nem fluida, é chão confundido com mar, que na imensidão alcança o horizonte para se misturar com o céu.

 

COMPARTILHAR