6 obras de Di Cavalcanti que todo mundo tem que conhecer

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque Melo, mas conhecido como Di Cavalcanti, foi um pintor brasileiro que buscava criar suas obras sem qualquer influências europeias. Di Cavalcanti foi pintor, ilustrador, cartunista, desenhista, caricaturista, muralista, cenógrafo, escritor, jornalista e poeta.

Desde muito cedo entrou na vida artística, tomando aulas de pintura durante toda sua infância. Com 17 anos de idade fez sua primeiro trabalho de ilustração a Revista Fon-Fon. Depois disso venho a criar muitos outros trabalhos de ilustração para revista e livros. Conheça agora as 6 principais obras de Di Cavalcanti.

6. O Nascimento de Vênus, 1940

O Nascimento de Vênus, 1940 Criada em 1940, esta é uma releitura de um dos mais famosos quadros de pintura da história, “O Nascimento de Vênus”, obra do pintor italiano Sandro Botticelli. O artista brasileiro na sua tela transpõe o Vênus da mitologia para o ambiente tropical.

Na pintura do italiano, a bela Vênus, deusa da beleza e do amor da mitologia grega, como personagem principal, no meio de outras figuras mitológicas. Na obra de Di Cavalcanti é mostrado quatro mulatas, inseridas dentro de um contexto atual.

Tanto as deusas do pintor italiano quanto a do brasileiro estão nuas e direcionam um dos braços para baixo ocultando a genitália. As quatro figuras presentes na pintura do pintor brasileiro, estão todas bem opulentas.

5. A Mulata, 1925

A Mulata, 1925Segundo Di Cavalcanti, a mulata é o símbolo do Brasil, pois ela não é preta nem branca, nem rica nem pobre, gosta da música, gosta do futebol, como o povo brasileiro. Ainda segundo o pintor as mulheres eram a sua fonte de inspiração, desenvolvendo com elas a forma e as cores de sua pintura.

Muitas vezes conhecido como o “O Pintor das Mulatas”, visto que nenhum artista dedicou a elas um espaço tão grande em sua arte. Ele mostrava a mulata em sua brasilidade, como gente da terra, parte intrínseca da população do país.

4. Moças com Violões, 1937

A Mulata, 1925Segundo Di Cavalcanti, a mulata é o símbolo do Brasil, pois ela não é preta nem branca, nem rica nem pobre, gosta da música, gosta do futebol, como o povo brasileiro. Ainda segundo o pintor as mulheres eram a sua fonte de inspiração, desenvolvendo com elas a forma e as cores de sua pintura.

Muitas vezes conhecido como o “O Pintor das Mulatas”, visto que nenhum artista dedicou a elas um espaço tão grande em sua arte. Ele mostrava a mulata em sua brasilidade, como gente da terra, parte intrínseca da população do país.

3. Mulheres na Janela, 1926

Mulheres na Janela, 1926Sendo mais uma obra de Di Cavalcanti, esta pintura foi pintada em 1926. Nela podemos notar duas figuras à janela, com uma maquiagem carregada e um olhar distante. Uma delas está de frente para o observador, enquanto outra divaga, à esquerda.

Nesta composição, podemos ver então a influência que o pintor recebeu do seu amigo Pablo Picasso, ao retratar duas monumentais mulatas. Estas duas figuras preenchem quase todo o quadro, com suas formas simplificas e curvilíneas, exalando beleza e sensualidade.

Para pintar esta tela o artista fez o uso de tons quentes avermelhados na maioria da obra. Os desenhos geométricos dispersam pelo fundo da pintura, acentuado as formas arredondadas das duas beldades.

2. Carnaval, 1924

Carnaval, 1924 

De acordo como o artista brasileiro, o carnaval sempre fez parte de sua vida desde sua mocidade. Di Cavalcanti pintou este quadro quando estava em Paris, retratando assim um bloco carnavalesco.

O quadro leva observador a ver um grupo de foliões que estão na rua, curtindo o carnaval. Todos com suas fantasias, carregando instrumentos, estandartes e flores. Pela proximidade entre eles torna-se muito difícil diferencia-los.

À frente do grupo, é possível ver um personagem que parece carregar uma boneca negra, vestida com saia de cor azul e branca. Tem um lenço vermelho na cabeça e um enorme brinco na orelha. Ainda a figura negra, de costas para o observador e de frente para o grupo ocupa o primeiro plano da obra.

1. Cinco Moças de Guaratinguetá, 1930

Cinco Moças de Guaratinguetá, 1930Esta é uma das mais conhecidas pinturas de Di Cavalcanti e faz parte do acervo do Museu de Arte de São Paulo, desde 1947. Quando pintou este quadro o pintor primou pela exuberância cromática e plástica. Todas as garotas retratadas na tela ocupam quase a totalidade da obra

Em primeiro plano podemos ver duas garotas. Á esquerda, está a moça de vestido azul e chapéu de cor idêntica, de frente para o observador. A sua outra companheira, à direita encontra-se de perfil, embora com seu olhar voltado para o quadro.

No meio da tela, há duas moças que se encontram na mesma posição das primeiras. A fundo, no canto superior direito da tela, está a quinta moça. Todas as garotas possuem a mesma cor de pele, sendo que a de vestido azul tem pele mais clara e traços mais finos.

COMPARTILHAR