Top 10 línguas mais difíceis de aprender no mundo

Falar outros idiomas, além dos óbvios benefícios profissionais e da vantagem competitiva que representa para cada profissional, é uma boa forma de interagir com outras culturas. Em mundo globalizado que exige cada vez mais a interação com várias partes do mundo.

Em uma pesquisa feita pelo Centro Público de Pesquisa em Saúde (CRP-Santé), no Luxemburgo, afirma que pessoas que falam mais de dois idiomas apresentam menos risco de desenvolver problemas de memória.

10. Alemão
alemão

O alemão é uma das principais línguas faladas na Europa Central. Sendo a língua oficial da Alemanha e a mais falada em Áustria, Suíça, Tirol do Sul (Itália), comunidade germanófona da Bélgica e Liechtenstein. Falada por cerca de 95 milhões de pessoas em todo o mundo, é a terceira língua estrangeira mais ensinada nos Estado Unidos. É a língua nativa da união Europeia.

O alemão apresenta uma grande variedade de substantivos e verbos, quatro tipos de declinação e o gênero neutro. Sendo assim, o alemão merece uma colocação na nossa lista, devido a sua gramática complexa.

9. Lituano
lituano

Sendo a língua oficial da Lituânia, é uma das línguas europeias mais arcaicas.  A conjugação dos verbos é muito complexa e seu léxico, extremamente arcaico. Algumas letras se escrevem de maneira diferente, dependendo da sua função.

Existem dois gêneros gramaticais em lituano – feminino e masculino. Não existe o gênero neutro, mas existem algumas formas gramaticais que derivam do gênero neutro histórico. Existem 5 declinações para substantivos e 3 para adjetivos.

Os substantivos e outras partes da morfologia nominal são declinadas em 7 casos: nominativo, genitivo, dativo, acusativo, instrumental, locativo e vocativo.

8. Russo
russo

O russo é uma língua eslava falada como língua materna na Rússia, Bielorrússia, Ucrânia, Cazaquistão, Azerbaijão, Quirguistão, Moldávia e em diversos outros países que formavam as repúblicas constituintes da extinta União Soviética. Embora sem carácter oficial após o fim da União Soviética, é utilizada amplamente em países como Letônia e Estônia.

É o Idioma mais difundido, em termos geográficos, de toda a Eurásia, a mais falada das línguas eslavas e a língua materna mais falada na Europa, o russo pertence à família linguística indo-europeia, e é um dos três membros ainda existentes das línguas eslavas orientais.

O idioma é atualmente uma das seis línguas oficiais da Organização das Nações Unidas. Seu alfabeto é diferente do nosso e sua gramática é muito irregular. Além disso, o russo tem vários sotaques, dependendo da região, devido a seu tamanho.

7. Finlandês
finlandes

A língua finlandesa é um idioma da família de línguas urálicas, à qual também pertence o húngaro, mais especificamente do ramo fino-permiano, ao qual também pertencem o lapão, o carélio e o estoniano.

O finlandês tem a característica de não pertencer ao tronco indo-europeu, de forma oposta à maior parte das línguas europeias. Pertencente ao tronco urálico e ao ramo fino-permiano, assim como o estoniano e o livónio, tem morfologia do tipo aglutinante, e o acento tônico recai sempre sobre a primeira sílaba da palavra.

6. Japonês
japones

A língua japonesa é o idioma falado no Japão e em outros lugares do mundo onde se encontram comunidades de imigrantes e descendentes de japoneses, ou Nikkei. A maior dessas comunidades fora do Japão encontra-se no Brasil, seguida pelos Estados Unidos e China.

É uma língua aglutinante e caracteriza-se por um sistema complexo de construções honoríficas, que refletem a natureza hierárquica da sociedade japonesa, com formas verbais e vocabulários particulares que variam de acordo com o status relativo entre interlocutores.

O repertório de fonemas da língua japonesa é relativamente pequeno, e tem diferenciação léxica baseada em um sistema de acento tonal. O japonês apresenta mais de 10.000 caracteres e 50 sons diferentes, o que faz com que esta língua seja uma das mais difíceis para aprendermos.

5. Húngaro
hungaro

A língua húngara ou magiar é um idioma pertencente ao grupo fino-úgrico da família das línguas urálicas, sendo de todas a mais amplamente falada, superando 14 milhões de falantes.

É também a mais falada das línguas não indo-europeias na Europa. O húngaro é a língua oficial da Hungria, uma das 24 línguas oficiais da União Europeia, e é falado também por comunidade de etnia magiar em sete países vizinhos, especialmente na Romênia, Eslováquia e Sérvia.

Assim como o finlandês, o húngaro é uma língua aglutinante. Além disso, temos uma certa dificuldade em aprender a escrever as palavras corretamente e diferenciar vogais longas e breves.

4. Árabe
arabe

O árabe é uma língua semita central, parente próximo do hebraico e das línguas neo-aramaicas. A língua árabe tem mais falantes do que qualquer outro idioma na família linguística semita, e é falada por mais de 280 milhões de pessoas como língua materna, no Oriente Médio, Sudoeste Asiático e Norte da África.

É idioma oficial de 26 países, número atrás apenas do inglês e francês, e a língua litúrgica do islamismo, por ser o idioma no qual o Corão, o livro sagrado islâmico, foi escrito. Falada em 58 países, só é menos difundida no mundo do que o inglês.

A gramática é a principal dificuldade quando se começa a aprender árabe. Há, também, muitos sotaques diferentes dependendo da região e a pronuncia correta das palavras é bem difícil. Além disso, se escreve de trás pra frente.

3. Polonês
polones

A língua polaca ou língua polonesa é uma língua eslava ocidental, falada por cerca de 60 milhões de pessoas, a maioria das quais vive na Polônia. É também falada na Lituânia (400 000), Bielorrússia (1 milhão), Ucrânia, Brasil (em várias cidades dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e em São Paulo), mas também no Reino Unido, na França, na Argentina, nos Estados Unidos, em Israel e no Canadá e em outros países.

Este idioma é a língua eslava mais falada depois do russo. O polonês apresenta um complexo sistema de consoantes (35!). Além disso, não há artigos, existe o gênero neutro e o plural dos substantivos varia, dependendo se é masculino/feminino ou animais/humanos.

2. Mandarim
mandarim

Mandarim é o nome dado a uma das variações da língua chinesa aparentados, falados por toda a maior parte do norte e do sudoeste da China. Quando é considerado um idioma separado, como frequentemente é feito pela literatura acadêmica, o mandarim possui mais falantes do que qualquer outra língua.

Neste idioma, o significado das palavras pode variar de acordo com o contexto. Além disso, ele apresenta quatro tons diferente que, para nós, são quase imperceptíveis. É uma língua muito distante da nossa, além do alfabeto ser completamente diferente.

1. Coreano

A língua coreana é a língua oficial da Coreia, tanto a do Norte como a do Sul. É também uma das duas línguas oficiais da Prefeitura autônoma coreana de Yanbian e no Condado autônomo coreano de Changbai da China. O coreano é a língua materna de, aproximadamente, 80 milhões de pessoas.

É uma língua aglutinante com o sistema de escrita chamado de hangul, que é um alfabeto fonético. O alfabeto coreano tem 19 letras consoantes e 21 letras de vogais. No entanto, em vez de serem escritas sequencialmente como as letras do Alfabeto latino, as letras hangul são agrupadas em blocos, cada um dos quais transcreve uma sílaba. Cada bloco silábico consiste em 2-6 letras, incluindo pelo menos uma letra de consoante (incluindo o símbolo para nulo) e uma vogal.

Os caracteres sino-coreanos chamado de hanja, apesar de não ser utilizados na vida diária, é importante em estudos históricos do coreano. No entanto, a gramática e a conjugação dos verbos em coreano é muito difícil! Além dos verbos, os adjetivos também são conjugados e existe uma infinidade de terminações possíveis.

COMPARTILHAR